segunda-feira , junho 24 2019
Página Inicial / Noticias / Banda de Gabriel Diniz chora, canta e aplaude cantor em velório

Banda de Gabriel Diniz chora, canta e aplaude cantor em velório

O corpo do artista está sendo velado nesta terça-feira (28/05/2019), em João Pessoa, na Paraíba


JOSEMAR GONÇALVES/ESPECIAL PARA O METRÓPOLES

A banda do cantor Gabriel Diniz, que está sendo velado no Ginásio Poliesportivo Ronaldo Cunha Lima, nesta terça-feira (28/05/2019), protagonizou um momento emocionante. Os músicos e equipe de apoio deram as mãos em volta do caixão, fizeram uma oração e, em seguida, puxaram uma salva de palmas. Muitos integrantes da banda não conseguiram conter a emoção e choraram bastante no momento da despedida. Em seguida, os fãs começaram a cantar e aplaudir.

O corpo de Gabriel Diniz chegou ao Ginásio Poliesportivo Ronaldo Cunha Lima, o Ronaldão, em João Pessoa (PB), por volta das 5h desta terça-feira (28/05/2019), onde é velado pelos familiares. Em um primeiro momento, a cerimônia ficou fechada para parentes e amigos. Às 8h, as portas foram abertas e o público teve a chance de se despedir do artista. O cantor morreu nessa segunda-feira (27/05/2019), após o monomotor em que ele estava cair em um mangue em Sergipe.

A família do artista está no local desde as primeiras horas da manhã. O pai de Gabriel Diniz, Sicinato Francisco Diniz, disse ser difícil acreditar que a tragédia tenha acontecido. Ele contou que, em um primeiro momento, as primeiras informações sobre o acidente chegaram de forma desencontrada para a família.

Fila de fãs

Os fãs fizeram fila desde a madrugada e acompanharam emocionados a chegada do corpo de Gabriel Diniz. A estudante Rafaele Daura, de 30 anos, viajou 130 quilômetros, de Recife (PE) a João Pessoa, para dar adeus ao artista. Ela chegou ao local nessa segunda (27/05/2019), às 18h30, e passou a noite em frente ao estádio. “Já chorei muito. Fechamos contrato semana passada para ele tocar na nossa formatura em 2020”.

No último dia 10, Rafaele assistiu a um show do cantor no Festeja Recife. “Ele tinha uma alegria contagiante. Onde chegava animava o ambiente”, disse ela, que já foi a sete apresentações de GD, como era chamado. “Sou fã bem antes de Jenifer, da época em que ele tinha cabelo louro”, contou.

O estudante José Wallysson saiu de Guarabira, distante 100 quilômetros de João Pessoa, onde criou o fã-clube GDnaticos. Às 20h30 dessa segunda, ele já estava na porta do estádio. “Eu vi um show dele em 2017 e me apaixonei. Cinco dias depois, tinha criado o fã-clube”, relatou.

Acidente

O avião monomotor que levava Gabriel Diniz caiu nessa segunda-feira (27/05/2019), no povoado do Mato, em Estância (SE), sul do estado. O acidente matou também Linaldo Xavier e Abraão Farias, diretores do Aeroclube de Alagoas.

A aeronave não tinha autorização para realizar voos comerciais, de acordo com uma pesquisa no site da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O monomotor pertencia ao Aeroclube de Alagoas, cujo dono é Denisson Eduardo De Mello Flores, e tinha permissão apenas para voos de instrução.

De acordo com a agência, o avião estava em situação regular, com Certificado de Aeronavegabilidade (CA) válido até 2023 e Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia até março de 2020. Após a tragédia, a Anac suspendeu os voos do Aeroclube de Alagoas e também abriu procedimento administrativo sobre o caso. A Força Aérea Brasileira (FAB) vai apurar as causas da queda.

Mais vítimas

Além do responsável pelo hit do Carnaval, a tragédia matou Linaldo Xavier e Abraão Farias, diretores do Aeroclube de Alagoas. Em entrevista ao site G1, um outro diretor do aeroclube, que se identificou apenas como Roberto, confirmou ao site a identidade das vítimas: Abraão era piloto desde 2012 e Linaldo tinha três anos de experiência. Os dois eram comandantes. (Josemar Gonçalves/Nelza Cristina).

Fonte: METROPOLE

Veja também

Nascida em Ceres, “Maria Luíza” retrata 1º caso oficial de uma militar transexual

Documentário dirigido por Marcelo Díaz, com produção da Diazul de Cinema, está na programação do …