quinta-feira , setembro 17 2020
Página Inicial / Noticias / Caiado: “meta do governo não pode ser atender a interesses políticos”

Caiado: “meta do governo não pode ser atender a interesses políticos”

Redação DM – O senador Ronaldo Caiado (Democratas-GO) voltou a fazer duras críticas à frase proferida pelo governador Marconi Perillo sobre sua “meta” para o governo goiano de chegar a 100 prefeitos filiados a seu partido no 1º semestre de 2017. Caiado trouxe em discurso na tribuna do Senado nesta quinta-feira (16/03) a exata fala do governador para mostrar o quadro de chantagem e pressão criado com a máquina estatal para que prefeitos se submetam à filiação em seu partido.

“Quero novamente chamar a atenção para a gravidade do que foi dito pelo governador. Às aspas: ‘Eu não desisti da meta de chegar rapidamente no primeiro semestre aos 100 prefeitos. Insisto que temos uma meta de chegar aos 100 prefeitos pois isso vai ser importante para nosso projeto de 2018’. Não é possível que o partido do governador se ache no direito de, com o dinheiro que recebeu da Celg, tentar comprar prefeitos para se perpetuar no poder”, protestou Caiado.

O democrata lembrou da recente negociação para a venda da Celg no valor de R$ 1,1 bilhão para relacionar o montante gerado com a estratégia de achaque aos mandatários municipais que não pertencem à legenda do governador.

“É uma clara vinculação de obras, convênios e o dinheiro do estado com uma posição político-partidária. Um desrespeito à soberania do voto popular que escolheu na maioria dos municípios goianos não caminhar com o governador. É fundamental que as pessoas tenham em Goiás a independência de votar e ver seu voto respeitado, seja de qual partido for. Do contrário é uma ditadura, uma imposição”, afirmou.

Para Caiado, a consequência da frase dita pelo governador deveria motivar o Ministério Público de Goiás a buscar informações sobre as reais pretensões de Marconi. “Onde está o Ministério Público de Goiás? Estamos propondo um debate em cima desta frase do governador proferida em todos os meios de comunicação e que provocou insegurança em todo o estado. É isso que o povo goiano quer? É essa a ‘meta’ que o povo goiano quer que seu governo assuma como principal objetivo?”, questionou.

Ronaldo Caiado também lembrou que a atual vinculação de candidatos a prefeito com a imagem do governador Marconi Perillo prejudicou campanhas em todo o estado em 2016. Para exemplificar, ele lembrou do 2º turno das eleições em Goiânia.

“Vejam o grau de desgaste do atual governador. Tínhamos no 2º turno dois candidatos. Vanderlan Cardoso apresentava uma curva de crescimento. No momento em que Marconi anunciou seu apoio ao candidato ele se desintegrou. A população de Goiânia não quis votar no candidato apoiado por ele como não quis a maioria dos municípios”, disse Caiado.

Deputado estadual José Nelto: “Marconi criou corredor polonês para os prefeitos”. Foto: Goiás 24 horas

 

O deputado estadual José Nelto (PMDB) relatou, ontem, que o governador Marconi Perillo (PSDB) criou um verdadeiro “corredor polonês” no Palácio das Esmeraldas para tentar cooptar prefeitos para o seu partido. Segundo o peemedebista, o que o governo quer é “cacifar José Eliton (PSDB), que é o seu candidato chapa-branca, criando um corredor polonês para os prefeitos”.

Há pouco mais de um mês, em Encontro Regional do PSDB em Goiânia, Marconi Perillo afirmou que a meta da sigla, que elegeu 77 prefeitos nas últimas eleições, era chegar a até 100 no primeiro semestre. A oposição reagiu a esta fala que deixa clara a pressão sofrida pelos prefeitos para se aliar a base em troca de recursos financeiros para os municípios.

“Os prefeitos têm sofrido pressões o tempo inteiro. É o uso descarado da máquina pública na tentativa de alavancar uma candidatura natimorta. A frase do governador no mês passado apenas prova que se trata da compra de prefeitos com o dinheiro público, o que é um crime eleitoral”, disse.

Para José Nelto, Marconi Perillo deveria usar o dinheiro da venda da Celg – cerca de R$ 1,1 bilhão – para melhorar a massa asfáltica das estradas e finalizar obras. “A produção está sendo prejudicada por causa das estradas ruins, bem como o escoamento da produção. Marconi precisa é recuperar as escolas, dar segurança aos goianos, saúde, e terminar as 448 obras que não concluiu até hoje. O dinheiro tem de ser usado republicanamente entre os 246 municípios”, afirmou.

Esta prática de tentar cooptar prefeitos para aderirem à sua base é descrita pelo peemedebista como “arcaica”. “É coisa de coronel, de gente atrasada. É a mesma política que fez nascer a Lavajato. O político pode até se vender, mas o povo não se vende”, sentenciou.

Ele também criticou o vice-governador, José Eliton, por liderar a iniciativa. “José Eliton está promovendo uma verdadeira caçada aos prefeitos. É deprimente ver tudo isso que está acontecendo. Para você ver o que é o medo de perder o poder”, criticou.

Esta não é a primeira vez que a oposição se posiciona contra ao que afirma ser uma prática comum do tucano. Nesta semana o senador Ronaldo Caiado (Democratas) subiu à tribuna do Senado por duas vezes para denunciar a compra de prefeitos em Goiás. Ele também retomou a frase dita pelo governador durante o encontro do PSDB.

Prefeito de Rio Verde Paulo do Vale: “Caiado é parceiro” Foto: herculesdias.com.br

 

Na tentativa de socorrer o governador Marconi Perillo (PSDB) da denúncia feita pelo senador Ronaldo Caiado (Democratas), a base governista optou por distorcer a fala parlamentar e acusá-lo de ser contra a parceria do governo estadual com os municípios. O prefeito de Rio Verde, Paulo do Vale (PMDB), garantiu que o democrata sempre trabalhou em favor do municipalismo. “O senador Ronaldo Caiado sempre foi parceiro dos municípios. Ele defende que esses recursos da Celg precisam chegar aos 246 municípios, independente de partidos. É o que todo mundo espera. E acredito que no final isso vai ocorrer. Inclusive eu tenho me reunido com o governo para estabelecer essa parceria”

Em uma das muitas demonstrações de respeito e preocupação com os municípios goianos, Ronaldo Caiado levou a Rio Verde mais de 100 prefeitos e secretários de todo o Estado para encontro com o ministro da Educação, Mendonça Filho (Democratas), data em que este autorizou a liberação de mais de R$ 3 milhões em recursos para a Educação de Goiás. O encontro foi elogiado por lideranças da base governista e da oposição pelo caráter suprapartidário.

Ronaldo Caiado também tem recebido em seu gabinete de Brasília vários prefeitos que possuem demandas nos ministérios. Neste último mês, por exemplo, estiveram com ele o prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha (PMDB), o de Formosa, Ernesto Roller (PMDB), e Paulo do Vale, dentre outros. Além disso, o senador tem se empenhado para destinar recursos de sua cota parlamentar para atender aos pleitos dos municípios. Fonte: Diário da Manhã

Veja também

Doutor Victor, respeitado médico de Itapaci, ganha alta, após se recuperar da Covid-19

Respeitado e conhecido em todo município de Itapaci, sendo referência no Vale do São Patrício, …