segunda-feira , maio 20 2019
Página Inicial / Goiás / Curso de Produção Caseira de derivados do leite tem alavancado muitas famílias

Curso de Produção Caseira de derivados do leite tem alavancado muitas famílias

“O curso Produção Caseira de Derivados do Leite do Senar Goiás foi a luz numa hora em que a gente estava quase passando necessidade”, relembra Simone da Cruz, que faz sucesso vendendo queijos e doces

Simone da Cruz e o marido planejam construir uma casa maior, com uma
cozinha bem equipada e uma área exclusiva para fazer e estocar os queijos

Depois de dez anos funcionando no Povoado de Samambaia, no município goiano de Luziânia, o mercadinho que a Simone da Cruz e o marido tocavam teve que fechar as portas. Calotes faliram o negócio. Com 35 anos, ela ficou sem saber como arrumar outra renda para sustentar a família. A única possibilidade de ganhar um ‘dinheirinho’ era com a venda de leite na fazenda do sogro. Mas a renda dos 80 litros produzidos lá não dava para manter ela, o marido e três filhos, dois deles morando em Anápolis para estudar. Na fase dona de casa, ela pensou em fazer queijos para vender. Mas sabia que a qualidade não era das melhores. “Eu pegava o leite crú e frio, colocava coalho e sal e fazia aquele queijo comum da fazenda, que a gente aprende há muitas gerações”, ressalta. Foi aí que veio a ideia de se qualificar. Ela então pediu ajuda na Associação Rural de Samambaia para fazer um curso e aprender a fazer queijos e doces de qualidade. O pedido foi encaminhado ao Sindicato Rural de Luziânia.

Não demorou muito para que o Senar Goiás, por meio da parceria com os Sindicatos Rurais, levasse para a região o curso de Produção Caseira de Derivados do Leite. “Lá eu me descobri, aprendi coisas que eu não tinha ideia, de aquecer o leite a 60 graus para matar as bactérias e até baixar a temperatura, para só então colocar o coalho. Doce, eu colocava muito açúcar. Aprendi que tem a quantidade certa, que não precisa gastar tanto”, relembra.

Simone terminou o curso num final de semana e na segunda-feira já colocou a mão literalmente na massa, ou melhor, na coalhada que dá origem aos queijos. Agora sabe produzir o frescal, a meia cura, muçarela, de trança e nó, além de doce de leite. Mas depois ela teve outra dúvida: onde vender os queijos e ganhar mercado? Simone sabia que em Luziânia e na região tinha muito produto. Ela e o marido, então, pegaram o carro, andaram 80 quilômetros e resolveram tentar a sorte na feira do Bairro Pedegral, em Novo Gama, no Distrito Federal.


Apesar de ser longe, para Simone valeu a pena, isso porque os
queijos frescal, meia cura e o doce de leite fizeram muito sucesso


Em menos de um ano, ela já vende parte da produção também na feira principal de Novo Gama, que é realizada aos domingos. Por mês são vendidos 400 queijos e quase 100 quilos de doce. A média de preços de cada unidade é de R$ 15,00. “Eu tinha a matéria prima. O leite estava ali, mas eu não enxergava como ganhar mais dinheiro. O curso do Senar Goiás foi a luz numa hora em que a gente estava quase passando necessidade. É maravilhoso! Se todos soubessem como é interessante, não perderiam nenhum curso. Eu mesma não perco mais. Para minha família, foi de muita importância. Hoje, por meio do curso consigo fazer meus produtos com qualidade”, afirma.

                         Encomendas extras e sonhos

A fama dos queijos e doces se espalhou na região conhecida como Rabo de Cavalo, onde fica a fazenda. “Vem muita gente de Goiânia aqui nas fazendas vizinhas e o pessoal sempre encomenda os doces para levar, aí entra mais um lucrinho. Minha irmã também vende salgados e toda a muçarela que vai em mini pizza, pastel, é feita por mim, ” conta empolgada. Simone ainda faz biscoitos e pães de queijo, que também vende nas feiras.
A produção de leite deve aumentar nos próximos dois meses, porque tem muitas vacas que vão dar cria na fazenda. E com isso Simone espera fazer mais queijos. Ela planeja construir uma casa maior, com uma cozinha bem equipada e uma área exclusiva para fazer e estocar os queijos. Mas o grande sonho e ter uma fábrica. “Meu maior sonho e também do meu esposo é construir uma fábrica para produzir os queijos, ter a liberação do Serviço de Inspeção Federal, o (SIF), para exportar e conseguir um preço melhor”, espera confiante.

Cursos

A agenda do curso Produção Caseira de Alimentos/Leite, além de outros nas áreas de Promoção Social e Formação Profissional em sete cadeias – Apicultura, Fruticultura, Horticultura, Ovinocaprinocultura, Pecuária de Corte, Pecuária de Leite e Piscicultura – estão disponíveis no http://sistemafaeg.com.br/senar/cursos-e-treinamentos/ps. Para mais informações, basta também procurar os Sindicatos Rurais em todo o estado.

Fotos: arquivo pessoal
Texto: Revana Oliveira
Comunicação Sistema Faeg/ Senar

Veja também

Oficialmente instalado o Núcleo Paralímpico da Cidade de Itapaci

A cidade de Itapaci foi agraciada com o primeiro Núcleo Paralímpico no Estado de Goiás …