sábado , julho 21 2018
Página Inicial / Goiás / Em Anápolis, recém-nascida tem queimaduras provocadas por bolsas de água quente

Em Anápolis, recém-nascida tem queimaduras provocadas por bolsas de água quente

Polícia Civil investiga incidente, ocorrido na Santa Casa de Misericórdia. Pais estão desempregados; custos com pomadas e faixas já ultrapassam R$ 400

Ferida já fechada provocada por queimadura no glúteo de recém-nascida em Anápolis (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

 

A Polícia Civil investiga o caso de uma recém-nascida que teve queimaduras de 1º e 2º grau na Santa Casa de Misericórdia de Anápolis. Segundo o relatório da coordenação do serviço de neonatologia, Yasmin Bispo Sousa foi colocada – logo após nascer – junto a bolsas de água quente em um berço comum, porque os aquecidos estavam em uso na UTI neonatal.

O caso aconteceu no dia 30 de abril, no início da tarde. Em um primeiro momento, o hospital trabalhou com a possibilidade de que a ferida fosse resultado de uma infecção — o que foi descartado por exames posteriores.

A Santa Casa informou, em nota, que a bolsa de água quente não foi colocada diretamente sobre a pele da paciente, e sim em volta da mesma, a fim de aquecê-la. O hospital afirmou ainda que, desde o momento da detecção da lesão, “prestou todo atendimento à paciente e deixou a família ciente sobre o ocorrido”.

No entanto, os pais de Yasmin, o auxiliar de produção desempregado Carlos Henrique Faria e a dona de casa Sara Silva Bispo, afirmam que não foram comunicados de imediato sobre o ocorrido. “Eles nos falaram que suspeitaram de uma infecção e que fariam exames para saber o que era. Depois, passados uns dias, admitiram que era uma queimadura. Não falaram que foi eles mesmos, não falaram nada em um primeiro momento”, disse Carlos Henrique.

O auxiliar de produção Carlos Henrique Faria, a mulher dele, Sara Silva Bispo, e a filha do casal, Yasmin, que sofreu queimaduras após ser colocada em berço com bolsas de água quente, em maternidade de Anápolis (Foto: Arquivo pessoal)

 

“Eu e minha esposa íamos à UTI todo dia. Não nos deixavam ver as feridas, disseram que só os médicos podiam ver. Aí, quando ela recebeu alta, no dia 8 de maio, é que nos entregaram o laudo médico falando que ela sofreu a queimadura no berço”

Fotos feitas pelo casal mostram as feridas na pele da bebê. Como tratamento, o hospital indicou que os curativos fossem trocados três vezes por dia. Uma médica do Hospital de Queimaduras da cidade se sensibilizou com o caso e ofereceu tratamento.

Diferentemente do que diz a Santa Casa, os pais afirmam também que a unidade de saúde não tem auxiliado nos cuidados com Yasmin. O combinado seria que uma enfermeira os ajudaria todos os dias nos curativos, mas, além de faltar esporadicamente alegando problemas com carro, a mulher teria parado de visitar a bebê no 38º dia após o parto, quando a ferida se fechou. “Ela é nossa primeira filha. Desde os primeiros dias que nasceu, ela chora de dor”, conta o pai.

A Santa Casa afirma que foi a responsável pela parceria com o Hospital de Queimaduras de Anápolis e que fez “acompanhamento sistemático mesmo após a alta, com visitas periódicas a pacientes. Todo o custo em medicamento e material foi por responsabilidade da instituição”.

Indignado com o ocorrido, o casal denunciou o caso à Polícia Civil nesta quarta-feira (27), que determinou a realização de exames no Instituto Médico Legal. A família também procurou a Justiça. O caso corre na 4ª Vara Cível, com valor de R$ 60 mil. O juiz responsável é Danet Bartoccini.

Relatório médico da Santa Casa de Misericórdia de Anápolis sobre bebê que teve queimaduras após ser colocada em berço junto com bolsas de água quente (Foto: Arquivo pessoal)

 

Vaquinha’ para tratamento

Yasmin precisa de três pomadas diferentes, e cada uma custa, em média R$ 100. Juntando todas as medicações necessárias, além de faixas para os curativos, os custos superam R$ 400. Sem dinheiro por estarem desempregados, os pais da bebê precisaram apelar para a ajuda de amigos e empréstimos. Carlos Henrique afirmou esperar punição aos responsáveis pelo ocorrido com a bebê. Ele afirmou que o casal queria ter voltado para casa “com a filha perfeita, como ela nasceu”.

Fonte: Por Raquel Morais –G1 GO

A bebê Yasmin Bispo Sousa, que teve queimaduras após ser colocada em berço junto com bolsas de água quente (Foto: Arquivo pessoal) 

Veja também

Prefeitura realiza com sucesso mais um mutirão de saúde em Pilar Cruz

    POR FLÁVIO DUARTE EM 18/07/2018 A Secretaria Municipal de Saúde realizou nesta quarta-feira …