terça-feira , outubro 27 2020
Página Inicial / Goiás / O Rio das Almas, outrora tão majestoso, agora tristemente, agoniza

O Rio das Almas, outrora tão majestoso, agora tristemente, agoniza

O Rio das Almas, outrora tão majestoso, agora agoniza. Foto: Ladislau Lacerda e Banco de Imagens

 

 POR FLÁVIO DUARTE – EM 21/08/2017 ÀS 1234

Se avolumam as denúncias que os veículos de comunicação da região, publicam sobre os maus tratos com o Rio das Almas, que está secando a cada dia que passa. Atualmente fica mais do que evidente, que em muitos pontos do rio, a água não chega um metro de profundidade, em alguns desses locais, já é possível atravessar todo o leito do rio sem molhar os pés.

Temos visto moradores ribeirinhos e imprensa cobrando providências das autoridades, que parecem não se tocar para o problema. Empresas que se dizem “amigas do meio ambiente”, são as que mais destroem, dizimam matas, nascentes e retiram grande volume de água de um rio que tristemente, agoniza. Às margens do rio, depósitos de lixo espalhados por grande parte de sua extensão, é possível ver móveis velhos, todo tipo de entulho e muitos restos de construção.

A reportagem do site JVF em recente visita ao Rio das Almas, constatou algo estarrecedor e preocupante. O rio está com sua capacidade muito abaixo do normal, com um volume de água muito baixo e faltando muito pouco para secar. Segundo ainda a reportagem, alguns moradores, há mais de 27 anos vivendo às margens do rio, disseram que se não desligarem as bombas de irrigação das plantações de cana de açúcar da usina, o destino do rio estará definitivamente selado.

Segundo o Jornal Populacional, da cidade de Ceres, nunca foi tão fácil ver o fundo do Rio das Almas, o nível rio está tão baixo, que em muitos pontos dá para atravessar andando de uma margem a outra. As pequenas embarcações de pescadores que frequentemente se vê no rio estão encalhadas.

Recentes imagens feitas por um membro da Associação Regional dos Amigos do Rio das Almas, sensibilizaram profundamente a população de Ceres, Rialma e região, até mesmo a TV Anhanguera esteve com sua equipe de reportagem nas cidades de Ceres e Rialma para comprovar a agonia do rio.

O Jornal O Popular também falou da situação vivida pelo Rio das Almas, que divide os municípios de Ceres e Rialma e que apresenta seca histórica. Segundo o jornal, há dez anos atrás, já era visível a diminuição no volume de água, porém, de agosto para cá, o problema se agravou muito.

Ainda no ano passado, o vereador de Rialma, Paulinelly Geraldo Carneiro (PMDB), flagrou uma captação de água do Rio das Almas para irrigação de plantações de cana em municípios como Ceres, Rialma, Carmo do Rio Verde e Uruana. Apesar de entender que a usina possui autorização para fazer essa retirada, as chamadas outorgas, o vereador ressaltou ao Jornal do Vale, que essa ação provoca um grave dano ambiental. Com isso, o rio poderia até secar devido à toda essa degradação. “É como se você pegasse um idoso de 95 anos e tirasse o sangue dele para dar para outro que pode esperar”, disse o vereador. Revelou ainda, que a vazão de água daria para abastecer diversas cidades da região.

A preocupação com o rio é tão grande, que a Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Ceres, resolveu intervir. Foi protocolado junto a Secretaria Estadual de Meio Ambiente ofício de nº 076/2017 a fim de que sejam levantadas todas as outorgas de direito de uso de água no referido município, e dará início a uma severa fiscalização com o objetivo de conter irregularidades e exageros, conforme anunciou ao Jornal Populacional.

Vale lembrar que o município de Ceres, encontra-se inserido no Bioma Cerrado, este possui características peculiares, como duas estações climáticas bem definidas: chuvosa e seca. A chuvosa concentra-se nos meses de outubro a março e, entre abril a setembro, ocorre a estação seca, período em que as chuvas são raras, podendo ocorrer estiagem. Atualmente, estamos no período de seca, podendo ser evidenciado pela falta de chuvas e pelo baixo nível dos corpos hídricos da região.

O rio das Almas é um curso de água que banha o estado de Goiás. Sua nascente é no limite do Parque Estadual da Serra dos Pireneus, no município de Pirenópolis. Segue seu curso no sentido sul-norte e compõe a bacia do Tocantins. Corta as cidades de Pirenópolis, Jaraguá, Ceres, Rialma e Nova Glória. A exploração do ouro, abundante na região em outras épocas, se dava também pelo Rio das Almas, que agora corre um sério risco de secar, se não houver por parte das autoridades competentes, providências severas e urgentes.

Rio das Almas, a cada ano que passa, diminui o volume de suas águas. Fotos: Valle Notícias

Grande quantidade de água é bombeada para irrigar culturas de cana de açúcar da região

Veja também

Policial militar é suspeito de matar mototaxista na cidade de Rialma

Um policial militar é o principal suspeito de ter assasinado a tiros um mototaxista na …