segunda-feira , fevereiro 24 2020
Página Inicial / Goiás / Itapaci supera Goianésia, Ceres e Itapuranga em termos de crescimento da economia

Itapaci supera Goianésia, Ceres e Itapuranga em termos de crescimento da economia

Vista aérea da Avenida Floresta no centro de Itapaci. Fotos: JORNAL VALE NOTÍCIA

De acordo com cálculos do economista Alexandre Bouças Marques, do Blog da Economia (ECONOMICIDADE), Itapaci superou Goianésia em matéria de taxa de crescimento da economia. Segundo ele, a estimativa indica que o PIB (Produto Interno Bruto) da cidade de Itapaci deve ter exibido um crescimento real em 2019 devendo atingir um total próximo de R$ 380.293.000,00. Se torna necessário lembrar que em 2016, o Instituto Mauro Borges, fazendo uso dos números levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, apurou o desempenho do PIB do município que era de R$ 324.397.000,00, portanto um acréscimo substancial nos últimos três anos, enquanto que o de Ceres, prevê-se um aumento de apenas R$ 495.511.000,00 em 2016 para R$ 511.270.000,00 em 2019.

Em Itapaci, o destaque maior foi a forte tendência de crescimento do emprego formal e a tendência de crescimento do consumo de energia elétrica, ambos indicadores de aquecimento da atividade econômica. Nesse ritmo, caso a cidade de Ceres apresente o mesmo desempenho nos próximos anos, a economia de Itapaci superará a de Ceres em temos de tamanho até o ano de 2026. O que mais pesou para indicar esse cenário de estagnação no município de Ceres foi o baixo crescimento populacional que de 2016 para cá foi de apenas 0,7%.

Vista aérea da parte alta da cidade de Itapaci. FOTO: JORNAL VALE NOTÍCIA

No caso de Goianésia, a economia nos últimos três anos registro crescimento real de 6%, o que está um pouco acima do crescimento acumulado do PIB nacional nos últimos três anos. A estimativa do economista para o Produto Interno Bruto do município é de que hoje, o mesmo seja de R$ 1.441.632.000,00. O fator que parece ter a maior parcela de contribuição para o resultado foi a geração de emprego verificada no período.

Os números de Itapuranga, por sua vez foram os mais preocupantes. A população do município – segundo o IBGE – caiu 3,2% e hoje é de 25.768 habitantes (844 pessoas a menos do que existia em 2016); a tendência do consumo de eletricidade é de queda acentuada de 23,4% e a quantidade de gente empregada com carteira assinada aponta para provável queda de 10,8% em comparação com 2016.

Outros municípios importantes da região, como Rubiataba e Uruana, também apresentaram números que insinuam contração da economia local, o que reforça a tese de que a Microrregião de Ceres (também conhecida como Vale de São Patrício) é uma área geográfica em situação de estagnação econômica.

Fonte: ECONOMICIDADE

Com informações do Blog Economicidade. (P.S.: Caso alguém queira mais detalhes sobre a metodologia de cálculo utilizada para projetar as estimativas estou à disposição em viabilidadeeconomica@gmail.com.)

Veja também

Crixás – Mineradora Serra Grande afirma que irá cumprir ordem judicial até setembro de 2021.

Juiz manda desativar barragem por risco similar ao de Mariana e impõe multa de até …