quinta-feira , novembro 26 2020
Página Inicial / Itapaci / Itapaci terá atendimento do judiciário no período natalino e passagem de ano

Itapaci terá atendimento do judiciário no período natalino e passagem de ano

judiciario-1

Durante a suspensão do expediente forense no perído natalino e de passagem de ano, que ocorre de 20 de dezembro a 6 de janeiro de 2017, o atendimento no Judiciário estadual será feito por meio de plantões. Foram convocados 74 juízes de direito e juízes substitutos em segundo grau, sendo 3 escalados para o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), 13 para Goiânia e os demais para comarcas do interior.

Conforme o Decreto 2314/201, o horário de funcionamento das unidades plantonistas será das 12 às 18 horas e define, ainda, que os órgãos da Secretaria do Tribunal cujas atividades, por sua natureza, forem indispensáveis à continuidade do serviço durante o recesso forense, a juízo dos respectivos comandos, manterão plantão de servidores, cujos nomes serão informados à Presidência e à Diretoria Geral. A Secretaria Geral da Presidência do TJGO, unidade administrativa, funcionará em caráter de plantão das 13 às 18 horas, nos dias úteis. Durante o plantão judiciário somente será admitida protocolização de forma física.

O atendimento em Itapaci durante a suspensão do expediente forense no período natalino e de passagem de ano obedece o Decreto Judiciário nº 2241/2016, que ficou estabelecido da seguinte forma: Itapaci – Carmo do Rio Verde – Ceres – Rialma – Rubiataba – Barro Alto – Crixás – Goianésia – Santa Terezinha de Goiás, será de 20 a 29.12.2016 com o juiz Alessandro Manso e Silva e, de 30.12.2016 a 09.01.2017, pelo juiz Eduardo de Agostinho Ricco.

O ponto será facultativo para os servidores do Poder Judiciário do Estado de Goiás, nos dias 24 e 31 de dezembro de 2015, em virtude das comemorações natalinas. Não haverá plantão nos dias 25 de dezembro de 2015 e 1º de janeiro de 2016. Contudo, não altera o estabelecido acerca dos plantões para o atendimento de questões judiciais urgentes, nem se aplica a servidores cujas atividades, por sua natureza ou em razão do interesse público, sejam indispensáveis à continuidade do serviço, a juízo dos respectivos comandos. Informações: Lílian de França – Centro de Comunicação Social do TJGO)

Veja também

Polícia prende dois por suspeita de crimes eleitorais no Rio

Policiais civis prenderam duas pessoas suspeitas de crimes eleitorais em São João de Meriti, na …