sexta-feira , julho 19 2019
Página Inicial / Goiás / Lissauer prevê “demissões em massa” caso Estado ingresse no RRF

Lissauer prevê “demissões em massa” caso Estado ingresse no RRF

“O RRF traz medidas muito duras para o Estado. Algumas poderiam até inviabilizar a atividade dos Poderes e seus órgãos auxiliares”, diz presidente da Alego

Presidente da ALEGO, Lissauer Vieira (PSB) . Foto: GOÁ$HS

O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSB), comentou, na manhã desta segunda-feira, 24, a decisão do ministro Gilmar Mendes e a possibilidade do Estado ingressar no Regime de Recuperação Fiscal (RRF) do Governo Federal. Lissauer reconheceu, a princípio, a dificuldade enfrentada pelo Estado e disse acreditar que a decisão do ministro foi oportuna para que Goiás tenha uma nova possibilidade para recuperação do caixa. “O certo é que algum caminho deve ser tomado. São várias as alternativas e uma delas precisa ser abraçada”, completou.

Contudo, ao ser questionado sobre os impactos do programa, Lissauer demonstrou preocupação com os possíveis reflexos desse ingresso: “O RRF traz medidas muito duras para o Estado. Algumas poderiam até inviabilizar a atividade dos Poderes e seus órgãos auxiliares”.

O parlamentar estima que haverão “demissões em massa, corte diversos cargos, redução de uma série de despesas e outras medidas duras”. “Essas atitudes bruscas podem prejudicar o bom andamento dos trabalhos; todos acabariam diretamente afetados”, enfatizou. Para ele, “esta é uma situação muito preocupante, pois o Estado ficaria completamente engessado”.

Outros caminhos
O presidente do Legislativo disse que o Executivo deve “sentar e estudar” a possibilidade de encontrar caminhos mais flexíveis e menos “danosos” para o Estado.

Para ele, a Reforma da Previdência, por si só, já representaria um grande “alívio” para Goiás. “Segundo o governo, são mais de R$ 200 milhões que saem dos cofres para a previdência. Ou seja, a aprovação da reforma traria novo fôlego e poderia nos dar novas possibilidades de encontrarmos um caminho menos danoso. Se essa discussão chegar à Assembleia, com certeza estaremos prontos para discuti-la”.

Outro ponto destacado pelo parlamentar foi a tramitação do Plano Mansueto no Congresso Nacional. Porém, Lissauer fez questão de frisar que este “ainda é uma expectativa” e “não pertence ao campo das possibilidades”, haja vista que ainda se encontra em discussão em Brasília.

“Ele traz menos problemas e danos ao funcionalismo. Cada Estado tem sua realidade, mas vejo que existem mais alternativas para percorrermos no futuro. Porém, volto a frisar: o que precisamos é encontrar uma saída e o Legislativo será um parceiro neste momento”, pontuou. Por Felipe Cardoso

Fonte: http://JORNAL OPÇÃO

Veja também

SÓ ALEGRIA NO ACAMPAMENTO DA ASSOCIAÇÃO DOS CAVALEIROS NA ROMARIA DE GUARINOS

Nesse ano uma inovação, apresentação da Folia de Nossa Senhora da Penha Após as orações …