quarta-feira , setembro 30 2020
Página Inicial / Noticias / Mãe se dispôs a gerar o bebê da filha que não pode engravidar: ‘maior presente’

Mãe se dispôs a gerar o bebê da filha que não pode engravidar: ‘maior presente’

Após descobrir que filha tinha dificuldade para ovular, Zolande Rodrigues de Araújo, de 51 anos, ofereceu a barriga para gerar bebê. Este é o primeiro Dia das Mães de Nataccia Rodrigues Rocha com o filho Bento, de 6 meses
Mãe se oferece para gerar o bebê da filha que não pode
engravidar: ‘Maior presente’ — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Dizem que avó é mãe duas vezes, mas, no caso da aposentada Zolande Rodrigues de Araújo, de 51 anos, o dito popular se concretizou. Após descobrir que a filha, a professora Nataccia Rodrigues Rocha, tinha dificuldades para ovular, ela se ofereceu para gerar o bebê e deu à luz Bento, que hoje tem 6 meses de idade.

“Um dia ela [Nataccia] falou assim para mim: ‘Mãe, eu tenho tanto amor para dar, será que eu não vou ser mãe?’. Dentro de mim eu queria entregar aquele maior presente para a minha filha, e eu me ofereci para gestar o filho dela”, lembra Zolande.

Nataccia e o marido, Alex Anderson Moura, também professor, vivem em Rio Verde, na região sudoeste de Goiás, e tentaram se tornar pais durante cinco anos. Após inúmeras tentativas e até cirurgia, o casal descobriu a dificuldade de Nataccia para ovular e segurar a gestação no útero.

“Eu passei por duas inseminações artificiais que não deram certo. Eu fiz uma cirurgia para verificar se tinha presença de endometriose e, depois, eu passei pela fertilização in vitro. Eu busquei todos os recursos médicos que haviam disponíveis para mim, e nenhum funcionou”, disse Nataccia.

Mãe se oferece para gerar o bebê da filha que não pode
engravidar: ‘Maior presente’ — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Após Zolande se oferecer para gerar o próprio neto, a família recorreu à medicina para a realização do sonho de Nataccia e Alex. Nestes casos, a lei diz que útero cedido para outro embrião deve ser de parente até quarto grau.

Médico especialista em reprodução humana, Vinícius Oliveira foi o responsável pelo procedimento com Nataccia e a mãe. Ele afirma que a idade de Zolande não foi um problema.

“Desde que essa mulher tenha uma avaliação médica mostrando que ela tem condições de ter uma gestação, ela pode ser a pessoa que vai ceder o útero para poder gestar. No caso da mãe da Nataccia, ela é uma mulher com uma saúde em boas condições e isso permitiu que ela pudesse receber esse embrião da filha para poder gestar durante os 9 meses”, explicou.

Mãe, filha e genro acompanharam juntos cada momento, desde a inseminação, o pré-natal, as sessões de ultrassom, até a hora do parto.

Nataccia amamenta Bento — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

“Eu sempre tive o desejo de ser pai e sempre tive muito preconceito com alguns métodos de alcançar a paternidade. E isso mudou muito a minha cabeça, foi uma mudança muito grande na minha vida, uma aceitação muito grande que eu poderia ser pai de outras maneiras”, disse Alex.

Agora, Bento está com 6 meses. Depois de tanto esforço, Nataccia conta que ser mãe foi um sonho que mudou a vida e a forma de ver o mundo.

“É a coisa mais gratificante do mundo. Eu jamais imaginei o tamanho desse amor. É o meu primeiro Dia das Mães como filha e como mãe, então, eu fico muito feliz de viver esse momento”, disse a mãe.

Fonte: G1 – GOIÁS

Veja também

Servidor público de Goianésia é exonerado após ofensas machistas a professora

Funcionário também menosprezou profissionais com formação em pedagogia. “Uso para limpar a bunda”, disse sobre …