terça-feira , abril 24 2018
Página Inicial / Goiás / Prefeitura de Niquelândia tem fornecimento de energia suspenso por falta de pagamento

Prefeitura de Niquelândia tem fornecimento de energia suspenso por falta de pagamento

Em fevereiro, secretário de finanças reconheceu que a cidade passa por um “estado de calamidade financeira”. Corte ocorreu, segundo a Enel, após sucessivas tentativas de negociação

Prefeitura está “no escuro” deste a tarde de terça (27). (Foto: reprodução)

 

Na tarde de terça-feira (27), alguns prédios da Prefeitura de Niquelândia tiveram fornecimento de energia suspenso por falta de pagamento de faturas por parte do Executivo municipal. O corte foi confirmado pela Enel Distribuição Goiás, antiga Celg. Segundo o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos (Sindser-Niquel) da cidade, Jair Dias de Almeida, a sede do governo foi afetada. Cerca de 300 pessoas foram dispensadas do serviço porque a prefeitura, segundo ele, “está no escuro”.

Apesar de confirmar o corte do fornecimento, a Enel não revelou valores devidos pela prefeitura. Em nota, afirma que a suspensão do serviço decorre do “não pagamento de faturas por parte do Governo Municipal”.

Imagem feita enquanto o serviço era interrompido pela Enel. (Foto: reprodução)

 

A decisão ocorreu, segundo a Enel, após “várias” tentativas de negociar o débito”. O fornecimento para serviços essenciais, como iluminação pública, unidades de saúde, escolas e segurança pública, foi mantido.

Crise

O Governo, liderado por Valdeto Ferreira Rodrigues (PSB) enfrenta dificuldades para cumprir folhas salarias de servidores do município e vem enfrentando constantes protestos de trabalhadores da Saúde e Educação na cidade. Ainda em fevereiro, o secretário de finanças Jocleide Pereira da Silva reconheceu, ao Mais Goiás, que a gestão passa por um estado de “calamidade financeira”.

Para Jair, o Executivo está parado. “Além dos 300 que estão sem trabalhar por causa da energia, temo outros 1.100 trabalhadores de áreas como , Turismo, Transportes, Promoção Social, Planejamento, Secretaria de Governo, Meio ambiente e Limpeza Urbana entre outros que estão de greve há 30 dias por salários atrasados desde dezembro de 2017. Praticamente, apenas a Saúde está funcionando”, revela. Trabalhadores cobram salários referentes aos meses de maio, novembro e dezembro de 2016, além de 30% do 13° daquele ano.

O Mais Goiás tentou contato com o secretário de finanças Jocleide Pereira, mas as ligações não foram completadas. O Portal também tentou contato com o prefeito por meio do telefone da prefeitura da cidade, mas também não obteve sucesso.

Fonte: https://www.emaisgoias.com.br/prefeitura-de-niquelandia-tem-fornecimento-de-energia-suspenso-por-falta-de-pagamento/

Veja também

25 favoritos para deputado federal em Goiás na disputa de 2018

Lincoln Tejota, Luana Baldy, Iris Araújo, Waldir Soares, Rubens Otoni, Jovair Arantes, Giuseppe Vecci, Flávia …