segunda-feira , maio 20 2019
Página Inicial / Goiás / Presos ex-prefeito e presidente da Câmara de Água fria por desvio de verba pública

Presos ex-prefeito e presidente da Câmara de Água fria por desvio de verba pública

Segundo promotor, mais de R$ 500 mil voltados para execução de espetáculos musicais foram desviados entre os anos de 2013 e 2014


Além dos políticos, empresários e servidores públicos foram detidos (Foto: divulgação/MP)

Operação do Ministério Público em Água Fria prendeu, na manhã desta quarta-feira (20) o ex-prefeito da cidade, João de Deus Silva Carvalho, e o presidente da Câmara Municipal Roberto Márcio Morais de Castro (PSDB) entre outros sete servidores públicos e empresários da cidade. Eles são suspeitos de desviar recursos voltados a realização de shows entre 2013 e 2014.

Além dos nove mandados de prisão, preventiva e temporária, o MP cumpre outras 10 ordens de busca e apreensão. As ações são coordenadas pelo Promotor Rafael Simonetti e têm apoio das polícias Civil e Militar. “As investigações apontam que o montante dos desvios ultrapassa os R$ 500 mil”, revela Rafael.

Policiais ainda cumprirão 10 mandados de busca e apreensão (Foto: divulgação/MP)

O Mais Goiás tentou contato, sem sucesso, com a prefeitura da cidade. Por outro lado, o vereador Sílvio Ribeiro (PP), que assume interinamente a presidência da câmara local, afirmou ter tomado conhecimento da operação – denominada Show de Horrores – agora ‘há pouco” e irá se inteirar da situação antes de emitir declarações. Entretanto, ele adiantou “nunca ter ouvido falar dos mencionados e supostos desvios”.Esta redação tenta obter o contato da defesa dos envolvidos.

“Cheque-Mate”

Em janeiro, Roberto Márcio, que é réu em ação penal por associação criminosa, crime de responsabilidade, apropriação de bens ou rendas públicas e desvio de dinheiro, chegou a ser afastado da presidência da casa pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). De acordo com informações da operação “Cheque-Mate”, conduzida pelo MP em 2018 para desarticular uma quadrilha que agia no Executivo do município com participação de ex-gestores, Roberto ainda responde por Falsidade ideológica e falsificação de documentos. A “Cheque-Mate” também teve participação do promotor Rafael Simonetti, que agora lidera a nova ação ministerial. (Hugo Oliveira).

Fonte: Mais Goiás

Veja também

Oficialmente instalado o Núcleo Paralímpico da Cidade de Itapaci

A cidade de Itapaci foi agraciada com o primeiro Núcleo Paralímpico no Estado de Goiás …