segunda-feira , setembro 21 2020
Página Inicial / Polícia / Sargento mata colega, troca tiros com a GPT e acaba sendo morto

Sargento mata colega, troca tiros com a GPT e acaba sendo morto

sargento 1
O crime aconteceu dentro de uma distribuidora de bebidas na cidade de São Luiz de Montes Belos (Foto: Reprodução)

 

As polícias Civil e Militar ainda desconhecem a real motivação que levou o sargento da PM aposentado Valdivino Otávio de Freitas a atirar e matar dentro de uma distribuidora de bebidas na cidade de São Luiz de Montes Belos o também sargento PM Marcelo Almeida de Oliveira de 47 anos. Horas após o crime, Valdivino Otávio também foi morto ao trocar tiros com militares do Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) em uma estrada de terra perto de Ivolândia.

De acordo com a ocorrência registrada pela PM, Marcelo Almeida, que era mais conhecido pelo apelido de “Tamborete”, estava de folga na Distribuidora Por do Sol, no Bairro São Domingos por volta das 17h30 de sexta-feira (24), quando Otávio, que era amigo dele, sacou da cintura uma pistola e efetuou um único disparo no rosto do colega de farda, que morreu na hora. Relatos de testemunhas indicam que Otávio atirou após uma brincadeira que Almeida teria feito com ele. As polícias, porém, ainda não confirmaram qual teria sido o teor dessa brincadeira.

Após o disparo, Otávio fugiu em um veículo Strada de sua propriedade, e como a polícia sabia que ele morava em Moiporá, passou a realizar buscas pela região. No final da noite uma equipe do GPT de São Luiz de Montes Belos localizou o carro do sargento em fuga por uma estrada vicinal que liga Ivolândia à Iporá.

De acordo com a PM, além de não obedecer ao sinal para que encostasse, Otávio inicialmente tentou fugir em alta velocidade, depois desceu do veículo e atirou contra a equipe do GPT, que revidou e conseguiu atingi-lo. O sargento aposentado ainda foi levado pela própria equipe da PM para o Hospital Nazir Seabra em Ivolândia, mas já chegou sem vida.

Com Otávio, os policiais apreenderam a pistola que foi usada no assassinato do sargento Almeida e na troca de tiros com o GPT. Segundo relato de conhecidos, Otávio havia sido aposentado há quase 10 anos por estar com problemas psiquiátricos, e atualmente apresentava sintomas de depressão. Como a vítima trabalhava em São Luiz de Montes Belos, e o autor morava há vários anos na região, as mortes causaram uma grande comoção na cidade. Fonte: Mais Goiás

Veja também

Em fuga cinematográfica, motorista que conduzia carro de luxo é preso com 470 kg de maconha em Rio Verde

Na fuga ele atropelou uma motociclista e acabou caindo na ribanceira de um córrego. Foto: …